sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Prosecco, fantasmas e o ano novo

Agora são 23h54 no horário italiano. Alguns fogos de artifício. Não muitos, comparando com o Brasil. Estou no trabalho, uma taça de Prosecco do meu lado. Quadros antigos e o vazio ao meu redor. Prosecco, pra quem não sabe, é um vinho frisante tipicamente italiano, que ao invés dos frisantes normais, não é doce, mas como diz o nome, seco.

Os clientes estão fora, ou estão nos seus quartos. Pra quem não sabe, trabalho num hotel, e nesse exato momento faço o turno da noite na recepção. Mas como eu ia dizendo, todos estão por aí, menos aqui. Embora Pisa não seja uma cidade de grandes atrativos. A maquininha do cartão de crédito acabou de fazer seu bip pontual da meia-noite. Ela não sabe que é dia de festa. Hoje é um dia como qualquer outro pra ela. O que não deixa de ser verdade também pra nós. Ou pelo menos pra mim. Bebo um gole.

Meia-noite. Já tive reveillons melhores na vida. Hoje, como várias outras vezes aqui na Itália, é um dia que me faz pensar e comparar. Penso como foram meus outros reveillons, penso no calor que faz agora no Brasil e como seria ótimo estar à beira-mar nesse exato momento. Penso neste tempo que estou aqui na Itália. Penso no futuro próximo, quando retornarei ao Brasil por alguns dias... Se não se quer chegar a conclusão nenhuma, pensar talvez não seja a melhor escolha. Tarde demais. Outro gole.

Como eu dizia, Pisa não é um "granché" no que se refere a divertimento. Uma cidade de mais ou menos 80 mil habitantes, cuja metade da população é estudante, o que torna a situação mais bizarra ainda, porque no Brasil onde há estudante, há festa. Pisa não. Pisa possui leis que proibem a abertura de locais depois das 2h da manhã (sexta e sábado) e depois da 1h nos dias de semana. Pisa não possui discotecas. Pisa, enfim, é uma cidade de velhos, feita por velhos e para velhos, muito embora a população predominante seja de jovens.

Depois de 10 meses morando aqui, já desisti de tentar achar uma exceção. Já imaginava que o ano novo seria pobre de opções e, pior ainda, com a chuva que cai agora. Duas da manhã estarão todos em casa, enquanto a chuva, o frio e os fantasmas medievais percorrem as ruas da cidade.

Nessas horas, é melhor estar trabalhando. Ironicamente, é a primeira vez que ficarei acordado no ano novo até às 9h da manhã. Não lembro quando, mas um tempo atrás, enquanto eu reclavama da falta de opções da cidade com meus fantasmas, um deles me respondeu: "talvez seja melhor assim, porque daí você estuda, se Pisa fosse agitada à noite, provavelmente você não faria isso".

Bebendo meu Prosecco, enquanto soa Audioslave no computador do trampo, começo a concordar com ele. É, meu fantasma, talvez 2010 seja hora de estudar mesmo. E depois teremos uma vida inteira pela frente. Eu e ela.

Um feliz ano novo a todos. Auguri!

3 comentários:

  1. Hum...não poderia passar melhor!
    As vezes um Prosecco dispensa qlqr companhia, mas só as vezes.
    É só um ano, não tem pq fazer tanta mídia assim. A mudança pode vir a qlqr momento e não apenas numa virada de ano, isso realmente faz alguma diferença? Deixemos, então, de encher o saco do novo ano com nossas´inúmeras promessas e otimismo e aproveitemos as oportunidades que se apresentarem.

    Eu brindaria, se tivesse um Prosecco!

    Um bom Ano.
    xerinho.

    ResponderExcluir
  2. não -é o fato de ser o ano novo, é o de pratica mente sei la 80% ou 70% do mundo ocidental estar festando e você sozinho. phoda né?
    ao fiao

    ResponderExcluir
  3. auhahau. mto bom. caraca, agora eu entendo porque em bento gonçalves também não tem nada, já q aqui é uma cidade 89% italiana. caraí, eu trabalhei no ano novo, mas não na hora da virada. trabalhei dia 31 até as sete da noite, e dia primeiro das 8 da manhã às sete da noite... e não tinha uma alma viva nas ruas, não tinha balada em lugar nenyhum de noite (quem saiu foi para outras cidades, tipo, farroupilha, garibaldi, caxias...) e nem restaurante aberto tinha no outro dia. pelo menos a janta na casa da família do meu colega tava divertido, e depois de bêbado, até cantei "américa, américa, américa..." e outras músicas em italiano..auhauahuaha. um abraço alemão! parabéns pelo texto aeh! ah, e não esqueça: porra alemão!!

    ResponderExcluir

Falhe conosco